domingo, 11 de abril de 2010

A palhaça triste

Sinta-se à vontade para dilacerar-me
E distribuir meus pedaços,
Como benfeitora da humanidade.
Abra devagar as minhas feridas,
Com tortura chinesa.
É o que sabes fazer melhor.
Exponha a minha humilhação em praça pública,
Faça-me apresentar um deprimente espetáculo invernal
Da palhaça triste.
Arranque a minha carne e coma um generoso pedaço.
Se sobrarem restos mortais,
Faça uma obra de arte da minha degradação.
Organize uma exposição da minha indignidade,
Mostre a todos, chame a imprensa,
Comente e ria com os teus amigos.
É engraçado demais.



4 comentários:

Mao disse...

Expressar pela arte o perfil ideologista, as ideias que não se calam, a vontade de MUDAR!
Apoio! E faço o mesmo! ^^
Aproximemos os outros da arte com a arte mais próxima a nós! e MUDEMOS! =D

Ass: Mao
oourodamiséria.blogspot.com

Carina Prates © disse...

Muito obrigada, Mao! Gostei muito do seu blog!! =]

Anônimo disse...

PQP, lindo!

Carina Prates © disse...

Obrigada!

ShareThis